“Por que querem que arquemos o déficit com o nosso bolso?”, diz vídeo da AEA-MG

A AEA-MG (Associação dos Eletricistas Aposentados da Cemig) publicou um vídeo de seu Grupo de Trabalho (GT) para assuntos da Forluz em que critica duramente as mudanças pretendidas pela Cemig para o Plano A. A Cemig pretende transformar o Plano A, vitalício, em um plano de cotas. O vídeo pode ser acessado aqui.

O professor Eduardo Leopoldino de Andrade, membro do GT Forluz, começa o vídeo dizendo que “todos sabemos que a Forluz está estudando mudanças no Plano A” e, a seguir, apresenta números que mostram que a transformação do plano vitalício em cotas não garante o benefício até o final da vida dos aposentados nem a pensão para o cônjuge que ficar viúvo. “Por que agora, com o déficit atuarial do Plano, eles querem que nós arquemos com o nosso bolso?”, questiona ao final do vídeo.

ABCF está com a AEA nesta luta

A ABCF (Associação dos Beneficiários da Cemig Saúde e Forluz) fez diversas denúncias sobre isso e continuará fazendo. Por isso, a ABCF vê com bons olhos o fato de a AEA buscar proteger os direitos dos participantes e a perenidade e sustentabilidade da Forluz. Não podemos aceitar que as mudanças sejam feitas por mero interesse da Cemig.

De fato, a questão está sendo tratada na Forluz e na Cemig há muito tempo sem que nossos representantes eleitos e a direção da Forluz apresentem os estudos que estão sendo feitos. Nós também queremos um posicionamento do Coletivo de Entidades sobre o assunto.

A ABCF já enviou um ofício para a Forluz solicitando todos os estudos para que possamos fazer uma análise técnica.

Neste momento, chamamos a AEA para uma luta conjunta. Ajude-nos a exigir transparência de nossos conselheiros eleitos que, até hoje, negam que exista alguma proposta na mesa.

Conheça a História da ABCF e faça parte dela: https://www.portalabcf.com.br/historia/

Conheça a diretoria e o conselho da ABCF: https://www.portalabcf.com.br/abcf/diretoria-e-conselheiros/