Cemig apresentou sua proposta: quer excluir aposentados da Cemig Saúde

Cemig não vai pagar sua parte para aposentados na Cemig Saúde

A Cemig apresentou na tarde desta terça-feira, 27 de abril, sua proposta para a Cemig Saúde que consiste, basicamente, em cortar benefícios e procedimentos e excluir os aposentados do plano. O objetivo do tal “corte de custos pós-emprego” é criar novos planos por meio de uma nova entidade de autogestão ou de uma operadora de mercado. Os aposentados que quisessem participar do plano teriam que pagar o custeio integral.

Veja aqui a proposta oficial da Cemig.

Veja a LIVE da ABCF sobre Cemig Saúde

A proposta da Cemig para a Cemig Saúde é excluir os aposentados do plano de saúde, limitar os procedimentos oferecidos, fim do PGE (Programa de Garantias Especiais, que é o teto de gastos de saúde reembolsáveis aos beneficiários), internações em enfermaria e não em apartamento, atendimento apenas em Minas Gerais.

Que fique claro: a ABCF (Associação dos Beneficiários da Cemig Saúde e Forluz), legítima representante de beneficiários ativos e aposentados, é totalmente contrária à proposta.

Ativos x Aposentados

Para conseguir convencer parte da categoria, a estratégia da empresa é opor trabalhadores ativos e aposentados. Quem quiser continuar na Cemig Saúde após a aposentadoria terá que pagar integralmente pelo plano de saúde.

De acordo com a proposta, a Cemig faria diversos cortes no plano para os trabalhadores ativos e ofereceria, como compensação, o não pagamento da parte dos funcionários, mas manteria a obrigatoriedade da coparticipação. Quem quiser uma cobertura de atendimento nacional, inclusão de beneficiários ou uma internação em apartamento teria que pagar um valor a mais. Ou seja, a Cemig piorou o plano de saúde e se ofereceu a pagar a parte do trabalhador ativo desde que os aposentados sejam excluídos do plano.

Conflito de interesses

O responsável por apresentar a proposta da Cemig foi o gerente de Relações Trabalhistas e Internas (DGP/RT) da empresa, Bruno Viana dos Santos Sant’Anna. O problema é que Bruno Sant’Anna também é conselheiro na Cemig Saúde indicado pela Cemig.

Afinal, Bruno Sant’Anna vai cumprir seu dever de fidúcia como conselheiro da Cemig Saúde e barrar essa proposta do gerente da Cemig Bruno Sant’Anna que é claramente prejudicial aos participantes/beneficiários do plano de saúde?

Um claro conflito de interesses. A ABCF já tinha alertado para esse risco em fevereiro.

Veja, abaixo, a proposta resumida

• Aposentados terão plano separado e pagarão integralmente por ele
• Atendimento em rede conveniada
• Internação em enfermaria
• Atendimento somente em Minas Gerais
• Coparticipação
• Sem teto de reembolso do PGE
• Sem contrapartida do empregado ativo

A ABCF PRECISA DE VOCÊ. SEJA SÓCIO. APOIE QUEM TE DEFENDE

Precisamos fortalecer as entidades representativas, inclusive financeiramente, para protegermos os participantes da Forluz e da Cemig Saúde. Os custos com advogados e outras consultorias são elevados.

Não se esqueça de se tornar sócio da ABCF e fortalecer quem defende os participantes. É só R$ 12,46 por mês. Importante deixar claro que a Justiça só vai dar o direito a ações contra perdas de direitos na Forluz a quem for sócio de alguma entidade.

Se você ainda não é sócio, junte-se a nós da ABCF.

É simples se tornar um associado. Clique no link. São apenas R$ 12,46 por mês.

Somente nossa eterna vigilância vai proteger a Forluz e a Cemig Saúde

Receba notícias pelo WhatsApp >>> https://chat.whatsapp.com/HcRys1VwIoXKl0XLMIlSFu

Conheça a História da ABCF e faça parte dela: https://www.portalabcf.com.br/historia/

Conheça a diretoria e o conselho da ABCF: https://www.portalabcf.com.br/abcf/diretoria-e-conselheiros/