ABCF envia notificação extrajudicial à Cemig e exige suspensão das alterações no plano de saúde

A ABCF (Associação dos Beneficiários da Cemig Saúde e Forluz) enviou nesta terça-feira, 11 de maio, uma notificação extrajudicial à Cemig exigindo:

a) Que a Cemig suspenda o atual processo de modificação de regras do Plano de Saúde, nos termos mencionados;
b) Que a Cemig chame a ABCF para as negociações que o caso requer;
c) Cientificar a Cemig de que a ABCF rechaça por completo a proposta atualmente apresentada, pois ela sequer apresenta um produto com características mínimas exigidas pela legislação;
d) A inadimplência temporal no tocante a este requerimento é de exclusividade desta empresa através de seus dirigentes;
f) A ABCF fica ao inteiro dispor para agendamento de reuniões e o que mais se fizer necessário para que se possa solucionar a presente situação da forma negociada e extrajudicialmente.

Leia aqui a íntegra da notificação extrajudicial.

Proposta unilateral

A forma como a proposta da Cemig foi apresentada de maneira unilateral, açodada e não condiz com o tratamento respeitoso que merecem os empregados e ex-empregados que trabalharam dias e noites, durante anos, para construir e garantir o grande patrimônio da empresa, do povo de Minas Gerais e do Brasil.

Não se verifica uma proposta de plano saúde nos termos da legislação, mas tão somente diretrizes genéricas sobre um eventual plano de saúde, e sequer há estudos atuariais e financeiros que amparem a proposta. Não há qualquer menção sobre o impacto socioeconômico para os 58.000 beneficiários da Cemig Saúde e nenhuma medida para mitigar as consequências da retirada abrupta do patrocínio a aposentados e assistidos.

“Solicitamos, portanto, que a empresa suspenda completamente essa iniciativa desumana, que ameaça inviabilizar o atendimento à saúde de milhares de pessoas e que se retrate por trazer mais esta preocupação às famílias, inclusive de pessoas idosas, em plena pandemia”, diz trecho da Notificação.

Judicialização

A ABCF, AEA-MG e Sindieletro estão atuando conjuntamente e já contrataram advogado para defender os direitos adquiridos pelos participantes na Cemig Saúde.

Esperamos uma resposta à Notificação, com a necessária urgência, com a disposição em buscar uma solução negociada para o caso, evitando-se desta forma a adoção das medidas legais que o caso requer.

A ABCF não aceita que a Cemig tire nossos direitos para pagar dividendos para acionistas privados, 45% deles estrangeiros.

A ABCF PRECISA DE VOCÊ. SEJA SÓCIO. APOIE QUEM TE DEFENDE

Precisamos fortalecer as entidades representativas, inclusive financeiramente, para protegermos os participantes da Forluz e da Cemig Saúde. Os custos com advogados e outras consultorias são elevados.

Não se esqueça de se tornar sócio da ABCF e fortalecer quem defende os participantes. É só R$ 12,46 por mês. Importante deixar claro que a Justiça só vai dar o direito a ações contra perdas de direitos na Forluz a quem for sócio de alguma entidade.

Se você ainda não é sócio, junte-se a nós da ABCF.

É simples se tornar um associado. Clique no link. São apenas R$ 12,46 por mês.

Somente nossa eterna vigilância vai proteger a Forluz e a Cemig Saúde

Receba notícias pelo WhatsApp >>> https://chat.whatsapp.com/HcRys1VwIoXKl0XLMIlSFu

Conheça a História da ABCF e faça parte dela: https://www.portalabcf.com.br/historia/

Conheça a diretoria e o conselho da ABCF: https://www.portalabcf.com.br/abcf/diretoria-e-conselheiros/