O planejamento financeiro é uma das etapas mais importantes para garantir a saúde dos investimentos. Se não planejar, você pode acabar perdido em relação as finanças em geral, e isso influencia tudo aquilo que se pretende realizar.

Muitas pessoas acabam empolgadas pela possibilidade de rendimento proporcionada por investimentos, e acabam se esquecendo de fazer um bom planejamento financeiro. Elas podem acabar, também, por gastar demais ao longo do mês, não pagar as contas de maneira correta, entre outras situações.

Se você quer ter um bom planejamento financeiro, vai precisar de dados concretos. Muitas pessoas sabem mais ou menos o quanto ganham e gastam por mês, mas dificilmente esses são valores muito precisos. E essa é uma necessidade para planejar.

É importante acompanhar mais de um mês de rendimentos e gastos para chegar a uma conclusão. Se for mais organizado e tiver tempo, pode até investir em alguns cálculos para saber o seu rendimento médio e quanto pode tirar disso.

Não se preocupe, pois, essa etapa pode ser feita por meio de valores aproximados. Não precisa necessariamente ter uma média exata. Basta entender quais são os seus ganhos e, em cima disso, o quanto é gasto por mês.

Tenha objetivos financeiros concretos

Quando estamos falando de planejamento financeiro, todos nós temos objetivos e sonhos. Essa normalmente é a primeira coisa na qual pensamos quando falamos de organizar e planejar o dinheiro.

Entretanto, cuidado com o que vai planejar. Pode ser que você tenha sonhos de consumo grandes, mas se pergunte, primeiramente, se eles são acessíveis de acordo com a sua situação financeira atual. Pensar em objetivos irreais é complicado e pode direcionar seus esforços para o caminho errado.

Seja qual for o seu objetivo, você deve pensar em termos de dinheiro:

Quanto eu gastaria para fazer isso?

Quanto eu preciso juntar por mês?

É importante, também, planejar um acúmulo mensal de dinheiro, e não uma ação pontual que vai acabar com a sua vida financeira por um mês inteiro.

Elabore um plano detalhado de ações

Agora que já sabe quais são os objetivos do seu planejamento financeiro, o próximo passo é entender como vai realizar tudo que sonha. E isso só pode ser feito com a ajuda de um plano mais prático de ações.

Esse plano pode conter o que você achar mais relevante para atingir o seu objetivo. Pode ser, por exemplo, um plano de ações referente aos investimentos futuros que está pensando em fazer. Também podemos ter ideias de planos para reduzir os gastos, se esse for o seu problema.

Como cada pessoa está em uma situação financeira distinta, não há uma regra. Você só precisa se perguntar uma coisa: como eu vou chegar em tal objetivo?

Pontue cada uma das ações que você pretende fazer separadamente.

Verifique as possibilidades de investimento

Uma das melhores ações de um bom planejamento financeiro é a possibilidade de se envolver em alguma modalidade de investimento. Se ainda não conhece as diferentes opções, não pode ficar por fora de sua melhor chance de faturar.

Para que você escolha uma boa opção, é necessário fazer uma pesquisa de qualidade. Assim, você já entende o seu perfil de investidor e as opções de mercado mais indicadas diante dele. Não se esqueça de considerar a possibilidade de contratar um coach financeiro.

Depois de fazer a pesquisa, basta incluir um pequeno planejamento de investimento como anexo. Com ele, você consegue entender mais sobre as suas possibilidades de ganhar com uma nova fonte de lucros.

Cuidado com os gastos desnecessários

Esse tipo de coisa é o que pode acabar com um investimento de qualidade, assim como com um rendimento médio satisfatório. O pior: os gastos desnecessários são mais comuns do que pensamos, e fazem parte da vida de todos.

Nossa dica é separar os seus gastos da seguinte forma: gastos fixos, que seriam os necessários todos os meses e aqueles que podem variar.

Você pode até gastar com algo de seu gosto, que não seja completamente necessário, mas é importante evitar isso na maioria das vezes.

Cuidado para separar exatamente a quantia que você programar para gastos de lazer ou outros gastos que preferir.

Você não pode sair dessa rotina de planejamento para não ficar no prejuízo mais tarde, e essa deve ser uma ação de cautela, visto que todos tendemos a perder o controle financeiro algumas vezes.

Envolva a família nos seus projetos

Uma das coisas mais importantes para o seu planejamento é o envolvimento da família. Se você possui mais pessoas morando na mesma casa, principalmente filhos, é essencial colocá-los nos cálculos que você fizer.

Falamos em dependentes financeiros de um modo geral quando temos pessoas em nossas vidas que usufruem de nossos recursos. Falamos de filhos, pois realmente são bons exemplos. O ideal é atentar aos gastos promovidos pelos outros membros.

Depois de incluí-los, você deve os deixar informados de todas as mudanças na sua vida financeira. Afinal, eles precisam saber, por exemplo, que você está poupando um pouco mais nesse mês e no próximo.

Renove seu plano periodicamente

Você precisa entender que, sem dúvidas, o seu plano de ações e o seu planejamento no geral possuem prazo de validade. Afinal, a vida financeira não é uma coisa estática. Você pode mudar de emprego, começar um curso, pagar uma viagem para alguém da família: essas atividades vão modificar totalmente os seus planos.

Por isso, nossa melhor dica é adequar o planejamento a cada seis meses ou a cada ano. É preciso ter a noção mais apurada das modificações sofridas pela sua vida financeira para adequar as datas com mais precisão.

Fonte: www.queroinvestiragora.com.br