Autorregulação: Selo em Governança de Investimentos tem avanços importantes 

  • ABCF
  • 31 de maio de 2019

Dentro do projeto de Autorregulação do sistema Abrapp, Sindapp e ICSS a concessão do Selo em Governança de Investimentos registra avanços importantes neste início de ano. Mais uma entidade, a Faelba, obteve o Selo que atesta o alto nível do funcionamento de seus processos de investimentos. “A obtenção do Selo é um passo muito importante porque confirma que existe um processo de investimentos bastante consolidado dentro da entidade”, diz Augusto da Silva Reis, Diretor Superintendente da Faelba.

Além da Faelba, a Centrus, Previ, Petros e Ecos já tinham recebido a certificação anteriormente. Todas as cinco entidades participaram como convidadas nas fases de projeto-piloto do Selo. A partir da abertura do processo de concessão para todas as associadas desde novembro passado, diversas entidades já fizeram suas inscrições.

“A Autorregulação é um projeto consolidado com a participação de dezenas de entidades, de todos os portes, pequenas, médias e grandes, o que representa a heterogeneidade de nosso sistema. Todas estão aderindo ao Código e agora na concessão do Selo de Autorregulação em Governança de Investimentos”, comentou Luís Ricardo Marcondes Martins, Diretor Presidente da Abrapp.

As entidades que receberam o Selo até agora mostram essa diversidade, desde a maior do sistema, a Previ, passando pela Faelba, considerada de médio porte (ativos na casa de R$ 1,8 bilhão) até a Ecos, com R$ 920 milhões. Luís Ricardo explica que todo o processo de inscrição e documentação é facilitado por uma plataforma web que propicia toda a transparência e agilidade necessárias para a concessão do Selo.

O Diretor Presidente da Abrapp reforça que a Autorregulação é uma importante colaboração que o sistema está realizando enquanto parte da sociedade civil no sentido de aprimorar as boas práticas de governança. “O sistema evoluiu muito, administramos algumas crises, é normal, mas a governança tem sido fundamental para manter a credibilidade de nosso sistema. É um sistema sólido que paga os benefícios em dia, precisamos dizer isso, em especial para as lideranças do novo governo”, comenta.

Confira a seguir entrevista com Augusto da Silva Reis, dirigente da Faelba e Diretor Executivo da Abrapp:
Concessão do Selo – “A obtenção do Selo de Autorregulação é um passo muito importante porque confirma que existe um processo de investimentos bastante consolidado dentro da entidade. Comprova que existe um processo que segue os normativos e que atesta que o conjunto de colegiados atuam de forma convergente de acordo aos princípios e valores da boa governança”.
Qualquer tamanho – “Independente do tamanho da entidade é possível se enquadrar nos requisitos do Selo. Os processos que devem seguir são os mesmos. Mesmo com as diferenças de porte, é preciso um núcleo básico em relação aos órgãos de governança e aos procedimentos. Independentemente do porte é necessário seguir a compliance dos investimentos”.
Metodologia do Selo – “O sistema Abrapp, Sindapp e ICSS criou uma metodologia bastante adequada para a leitura e avaliação dos processos de investimentos, da atuação dos diversos colegiados, de como enxergam e como atuam no processo decisório. Por exemplo, para avaliar o processo de alçadas ou o controle de riscos”.
Fortalecer a credibilidade – “Nosso esforço está em fortalecer a imagem do sistema com uma resposta forte e clara. E o Selo vai ao encontro desse objetivo, de fortalecer imagem do sistema. O Selo permite mostrar que seguimos valores, condutas e procedimentos avaliados por uma banca examinadora independente e de alto nível. Não é a própria entidade e nem mesmo a Abrapp que faz a avaliação. É uma banca e um conselho formados por profissionais e entidades representativas”.
Aperfeiçoamento contínuo – “O Selo atestou as evidências das melhores práticas da Faelba, que temos uma série de mecanismos de alto padrão envolvidos na governança dos investimentos. Porém, consideramos que o aperfeiçoamento não termina aí, ao contrário, está apenas começando. Agora surge a necessidade de manutenção e acompanhamento dos princípios e práticas, de dar continuidade. O Selo é uma fotografia do momento atual, mas precisamos continuar sempre melhorando para que as futuras fotos mostrem que continuaremos atendendo as exigências”.
Leia mais e confira depoimentos de dirigentes de entidades que receberam o Selo.

Fonte: Abrapp/AssPreviSite