Exportando a longevidade saudável japonesa


O umami pode nos ajudar nos nossos melhores anos? 

O Japão pode ser o primeiro país a enfrentar o "boom de idosos". Porém, esse segmento da população está aumentando em todo o mundo. Desde a França, onde um quarto da população tem mais de 60 anos de idade, aos países do Sudeste Asiático, onde esta média atingiu 9,6% em 2016, o mundo está voltando sua atenção para o cuidado com seus membros mais idosos. 
O Japão encabeça o conceito de "longevidade saudável". A ideia é, na verdade, muito simples: a longevidade pode ser maravilhosa, mas é muito melhor se o idoso puder ser feliz, ativo, produtivo e autossuficiente. Como resultado, é dada muita atenção não só ao auxílio para que as pessoas vivam mais, mas também a uma vida mais saudável na sua terceira idade. É claro que muitos outros países compartilham o mesmo objetivo. Um estudo recente realizado na cidade de Lyon, na França, concluiu que é necessário comer bem para envelhecer bem. 

No Reino Unido, há uma tendência para que as pessoas trabalhem durante mais tempo, e existem planos para que a idade mínima para aposentadoria aumente para 67 anos no futuro. Já países como Tailândia, Vietnã e Indonésia estão estudando como manter a comida apetitosa para seus idosos que, como em qualquer lugar, passam por uma diminuição do apetite. 

Por que eles recebem menos nutrição? 
Uma variedade de mudanças físicas diminui a capacidade das pessoas de receber a nutrição necessária quando envelhecem. Muitas pessoas dessa faixa etária usam próteses dentárias, que podem alterar o sabor dos alimentos devido ao metal contido nelas. Há uma redução no número de receptores gustativos na boca e na garganta, o que, obviamente, leva a uma diminuição na capacidade de sentir o sabor dos alimentos e, ao mesmo tempo, a capacidade de secretar saliva diminui, dificultando o processo de deglutição. 
Além disso, ocorre a perda total da força muscular na mandíbula e na língua, acrescentando uma maior dificuldade a um processo que para a maioria de nós é natural: comer. 

O umami pode ajudar? 
Claro que o umami, gosto básico do glutamato monossódico (MSG), não poderá ajudar em cada problema físico que levaria à diminuição da nutrição em idosos, mas, de acordo com uma pesquisa recente, pode causar um impacto positivo em algumas pessoas. Um estudo mostrou que 37% dos idosos possuíam paladar prejudicado, e entre os sujeitos categorizados como "não saudáveis", quase a metade possuía paladar deficiente. 

Além disso, foi descoberto que a maioria dos sujeitos com dificuldade para sentir gostos e sabores não consegue secretar uma quantidade suficiente de saliva. É fácil entender que uma capacidade reduzida para saborear os alimentos, juntamente com a dificuldade de engolir, poderia contribuir para uma diminuição do apetite, que leva a uma espiral descendente que possui graves consequências para a saúde. 

A salivação é importante devido a outros fatores além da deglutição. Ela também desempenha um papel vital na saúde oral ao eliminar bactérias e, consequentemente, o mau hálito. (Você já se perguntou a razão do mau hálito pela manhã? É por que nós salivamos menos a noite!) 
Além disso, a saliva da boca é que inicia os processos de digestão do amido alimentar, abundante no arroz, no macarrão, na batata e no pão. A boa notícia é que o umami pode ser parte da resposta. Primeiramente, o argumento principal para usar o umami como tempero, ou qualquer tipo de tempero*, é aumentar a palatabilidade do alimento. Entretanto, mais do que isso, foi demonstrado que o umami aumenta a salivação total mais do que qualquer outro gosto básico, até mesmo o azedo. 

*Tempero é definido como algo que serve para temperar; especialmente: um ingrediente (como um condimento, especiaria ou erva) adicionado ao alimento principalmente para realçar seu sabor. 

Surpreendentemente, sujeitos com secreção salivar que consumiram kombu dashi, um tradicional ensopado japonês rico em umami temperado com alga, por um período de 10 meses, realmente passaram a ter novamente níveis normais de salivação! Isso levou a um aumento do apetite e ganho de peso. 

Como o MSG e o umami podem ajudar os idosos: 
• O tempero umami MSG, a forma mais pura de umami, aumenta a palatabilidade do alimento, o que estimula uma maior assimilação da nutrição. 
• O umami ajuda na digestão de proteína, regulando a salivação e o suco gástrico. 
• O umami estimula a salivação viscosa, o que ajuda na deglutição e alivia a "boca seca". 

Fonte: Terra Notícias



Compartilhe Google Plus

Sobre Portal ABCF

Site da Associação dos Beneficiários da Cemig Saúde e Forluz. Previdência complementar, fundo de pensão, educação financeira e plano de saúde.
    Comentários Gmail
    Comentários Facebook

0 comentários :

Postar um comentário