ABCF solicita providências da diretoria da Forluz sobre cobrança de custeio dos participantes

Nos últimos dias, a diretoria da Forluz tem enviado boletos com cobrança do custeio administrativo aos participantes do Plano A. Os valores chegam a R$ 5 mil. Como legítima representante dos participantes da Forluz, a ABCF (Associação dos Beneficiários da Cemig Saúde e Forluz) solicita providências urgentes da diretoria da Fundação:

- Disponibilização de todas as informações pertinentes ao assunto como memória de cálculo do valor cobrado, publicação do TAC, legalidade da cobrança, etc;
- Esclarecer qual o motivo de não se descontar o valor no contracheque;
- Esclarecer qual a destinação dos valores cobrados;
- Possibilitar o parcelamento em mais de seis vezes, levando-se em conta a situação e a disponibilidade de pagamento de cada participante.

Curta nossa página no Facebook

Leia, abaixo, a carta enviada nesta quinta-feira, 26 de janeiro, para o diretor-presidente da Forluz, José Ribeiro Pena Neto.


Belo Horizonte, 26 de janeiro de 2017.

Ilmo Sr.
José Ribeiro Pena Neto
Diretor Presidente

Assunto: Cobrança custeio administrativo Plano A

Senhor Presidente,


A ABCF tem sido procurada por associados que estão sendo cobrados pelo custeio administrativo retroativamente a cinco anos, fruto do TAC firmado entre Forluz e Previc.

Causa-nos espécie que esses valores estejam sendo cobrados de uma única vez, através de um boleto bancário, a vencer dia 31/01/2017. Ademais pelos valores envolvido e que pudemos constatar, não há como paga-los sem o comprometimento do orçamento doméstico dos participantes. Tivemos acesso a boletos que vão de R$ 1.000,00 até R$ 5.000,00.

A carta que traz anexo o boleto nada tem de clara sobre a cobrança, seus motivos, como foi feito o cálculo e muito menos a menor possibilidade de entendimento do cidadão médio. Até mesmo o nº do telefone 0800, indicado para solucionar dúvidas, está errado.

A falta de sensibilidade também fica explícita na medida em que se manda uma cobrança dessas a vencer no mês de janeiro, mês de despesas pesadas como IPTU, IPVA, material escolar, matrículas escolares, etc.

Também fica claro que houve falha na operacionalização da cobrança dos participantes do Plano A que migraram após 15/12/2000. Segundo o que consta na Ata de reunião do Conselho Deliberativo de nº 322, de 26/02/2015, a cobrança mensal deveria ter ocorrido a partir de março/2015, com desconto em folha de pagamento. O valor retroativo seria cobrado a partir do abril de 2015.

Ora, por que a Forluz não fez a cobrança na data correta? Por que não utilizou todo esse tempo entre março de 2015 a janeiro de 2017 para fazer uma comunicação clara e objetiva aos participantes que ora estão sendo surpreendidos? Pelo que se sabe, a cobrança atinge 374 participantes. Em se tratando de número tão baixo, a Forluz poderia ter feito um atendimento pessoal com cada um deles.

Curta nossa página no Facebook

Apesar de a carta não dizer nada sobre parcelamento do valor, constatamos que, ao procurar ajuda no 0800 correto, a Forluz está parcelando em até seis vezes o valor cobrado. Também fomos informados que esses valores não serão descontados no contracheque e deverão ser pagos através de boleto bancário.

Aqui cabem duas perguntas: Porque o parcelamento somente em seis vezes? Por que não descontar no contracheque os valores negociados?

Como se pode ver, há muito a explicar aos nossos participantes. Diante disso a ABCF, como legítima representante dos participantes, vem solicitar, com a máxima urgência, que a direção da Forluz tome as seguintes providências:

- Disponibilização de todas as informações pertinentes ao assunto como memória de cálculo do valor cobrado, publicação do TAC, legalidade da cobrança, etc;
- Esclarecer qual o motivo de não se descontar o valor no contracheque;
- Esclarecer qual a destinação dos valores cobrados;
- Possibilitar o parcelamento em mais de seis vezes, levando-se em conta a situação e a disponibilidade de pagamento de cada participante.

Esperando ser atendidos no menor espaço de tempo, em respeito aos nossos participantes, razão da existência da Forluz, somos

Atenciosamente,

Júlio César Silva

Diretor-Presidente da ABCF

Curta nossa página no Facebook
Compartilhe Google Plus

Sobre Portal ABCF

Site da Associação dos Beneficiários da Cemig Saúde e Forluz. Previdência complementar, fundo de pensão, educação financeira e plano de saúde.
    Comentários Gmail
    Comentários Facebook

0 comentários :

Postar um comentário