Trabalhadores da Cemig em Juiz de Fora aderem à greve

Funcionários da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) de Juiz de Fora entraram em greve na última quarta-feira, dia 2 de dezembro, por tempo indeterminado, após assembleia. A categoria não está satisfeita com os salários e com posicionamentos da empresa, como corte dos benefícios ofertados aos funcionários ativos e aposentados, como seguro de vida, e participação nos lucros. Por esses motivos, cerca de 50% dos trabalhadores decidiram cruzar os braços por tempo indeterminado.

Curta nossa página no Facebook



A Companhia Energética disse que paralisação não interfere no atendimento e na prestação de serviços aos consumidores. Informou, ainda, que uma liminar deferida pelo desembargador José Murilo de Morais, do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região, determinou a manutenção de um quadro mínimo de 60% dos trabalhadores em cada atividade, o que está sendo cumprido.

Conforme o presidente do sindicato, vereador José Emanuel Esteves, a decisão pela greve ocorreu após uma rodada de negociações sem avanço em Belo Horizonte. O retorno dos funcionários ao trabalho depende de negociação. "Antes de decidir pela greve, já havíamos feito uma paralisação de 24 horas. Uma coisa que pesa muito são os processos e a participação de lucros que a Companhia oferecia aos trabalhadores e agora quer excluir", comentou.

Esteves afirmou que o percentual mínimo de trabalhadores, exigido pela Legislação, está sendo respeitaoa. "Apenas os concursados efetivos aderiram a greve. Os terceirizados continuam trabalhando normalmente. A interrupção do serviço atingirá em torno de 90 trabalhadores na cidade", disse. 

Sobre os salários, Esteves concluiu dizendo que o mesmo se encontra defasado e que há a necessidade de trabalhar em cima do ganho real, ou seja, fazer a recomposição salarial. A categoria pleiteia aumento de 4,85%. "Sabemos o País passa por crise, mas não podemos nos calar diante da insatisfação da classe. Queremos ainda a abertura de concurso público para contratação de 1.500 profissionais e plano de carreira", concluiu. 



Fonte: G1.
Compartilhe Google Plus

Sobre Portal ABCF

Site da Associação dos Beneficiários da Cemig Saúde e Forluz. Previdência complementar, fundo de pensão, educação financeira e plano de saúde.
    Comentários Gmail
    Comentários Facebook

0 comentários :

Postar um comentário