TCU investiga fundo de pensão dos Correios

No alvo do Ministério Público Federal, o fundo de pensão dos Correios, o Postalis, entrou na mira também do TCU (Tribunal de Contas da União). 

Em sessão plenária, os ministros da corte determinaram a realização de auditoria para investigar as contas do fundo e para apurar os motivos dele ter gerado um déficit atuarial estimado em R$ 5,6 bilhões. 




A análise das contas foi solicitada pelo Senado Federal, terá prioridade regimental e deverá ocorrer em um prazo de cerca de seis meses. 

Além do fundo de pensão, a auditoria irá se estender também à Superintendência Nacional de Previdência Complementar, o Previc, órgão de supervisão e fiscalização do Ministério da Previdência Social. 
Em junho, a Procuradoria da República do Distrito Federal abriu investigação criminal para apurar indícios de irregularidades na administração do Postalis. 

Entre as falhas apontadas, há erro na contabilização de provisionamento e aquisição de ativos em desacordo com resolução do Conselho Monetário Nacional. 

No mês passado, o diretor-presidente do fundo de pensão, Antonio Carlos Conquista , teve os bens bloqueados pela Justiça de São Paulo por indícios de fraude na compra de um terreno em 2012, em Cajamar (SP). 

Segundo a Procuradoria da República de São Paulo, os custos com o terreno e a construção chegariam a R$ 166 milhões, mas o Postalis pagou R$ 196 milhões, considerando a rentabilidade que teria com o aluguel. 

Na terça-feira (25), o presidente da CPI dos Fundos de Pensão na Câmara dos Deputados, Efraim Filho (DEM-PB), anunciou que enviará ao TCU pedido para que averigue se os Correios fizeram uma "pedalada fiscal" para fechar as contas do ano passado. 

Em audiência, o diretor-presidente do Postalis afirmou que o Ministério do Planejamento orientou os Correios a interromperem em março do ano passado o pagamento ao fundo de pensão de um déficit de cerca de um R$ 1 bilhão.

Postalis: Esclarecimento 


Esclarecimento – Jornal Valor Econômico – 26/08/2015 


A respeito da matéria do jornal Valor Econômico “TCU irá investigar rombo no Postalis”, esclarecemos que, ao contrário do que afirma o jornal, o presidente Antonio Carlos Conquista, em depoimento à CPI,  negou interferências do governo e do  Partido dos Trabalhadores  nas decisões do Postalis.

Fonte: Folhapress / Postalis / AssPreviSite.
Compartilhe Google Plus

Sobre Portal ABCF

Site da Associação dos Beneficiários da Cemig Saúde e Forluz. Previdência complementar, fundo de pensão, educação financeira e plano de saúde.
    Comentários Gmail
    Comentários Facebook

0 comentários :

Postar um comentário